A Equatorial foi alvo de processo administrativo instaurado pelo Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). A motivação foi a falta de energia após a forte chuva da última sexta-feira (4).

Segundo informações, o promotor de Justiça e coordenador-geral do Procon, Nivaldo Ribeiro foi quem assinou a portaria aberta nessa segunda-feira (7).

“A ausência do fornecimento de energia elétrica atingiu milhares de consumidores, inclusive serviços de relevância social como hospitais e maternidades”, diz Nivaldo Ribeiro.

Por meio do documento, o Ministério Público quer que empresa apresente defesa escrita, no prazo de 15 dias, apresentando relatório que contenha o número de chamados recebidos na sexta-feira (4), no sábado (5) e no domingo (6) relacionados à falta de energia.

A empresa deve ainda se pronunciar sobre a possibilidade de firmar Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) a respeito dos problemas ocorridos.