Enquanto em outros países a quarentena é respeitada e tem havido ações de forma a minimizar a questão sócio econômica da população de baixa renda e mesmo trabalhadores informais, que são os mais atingidos na quarentena, pois não tem serviços habituais de forma de garantir o alimento e as contas de suas famílias. No brasil, o governo parece não ter a noção exata da crise da pandemia do covid-19.

Em outros países, ha liberação de renda extra-urgente para a população mais vulnerável e já liberada imediatamente. Na frança além da renda extra, tanto para população, bem como para empresas também, afim de assegurar o desemprego futuro, o presidente francês decretou a suspensão da cobrança das contas de luz, água e gás no país, inclusive para empresas.

No caso de Teresina, foi suspenso somente os cortes tanto de água e energia, e o prefeito tem feito um trabalho de distribuição de cestas básicas em Teresina para famílias carentes via escola pública.

Mas mesmo com a quarentena famílias tem se queixado e questionado que não estão trabalhando, como irão pagar as contas que continuam chegando da Águas de Teresina e Equatorial que além de não ajudar a populção, ainda assim continuam cobrando os serviços, mesmo sabendo que a população está em isolamento sem poder trabalhar neste momento. Como irão pagar estas contas?

A Sra Maria do Carmo, entrou em contato com a nossa redação, para reclamar ter recebido hoje(01.04) na porta de sua residencia o talão de cobrança da energia, equatorial e tem recebido via whatsApp cobranças da Água de Teresina. Ela justifica que o marido vivia de bico e ela também é autônoma, faz bolos, mas com a quarentena e o medo de contrair o vírus, já que é diabética, deixou de sair para vender seus bolos, e ainda a pergunta que não temos ainda a resposta até o momento das autoridades, “COMO VOU PAGAR ÁGUA E ENERGIA, SE NÃO POSSO TRABALHAR NESTE MOMENTO E NÃO SEI COMO VAI FICAR”. POIS ALÉM DE SER DO GRUPO DO RISCO, MESMO SE SAIR PARA VENDER NÃO VENDE, POIS NÃO TEM NINGUÉM PARA COMPRAR. Reclama dona de casa, do bairro vamos ver o sol, em Teresina, que trabalhava com bolos caseiro e seu marido é desempregado, vivia de bicos.

Agora resta aguardar que atitude que a prefeitura de Teresina irá tomar em relação a esta situação agravante no município e cada vez mais recorrente.

 

 

Redação